terça-feira, 17 de maio de 2011

Enfrentando a maturidade




    É como o despertar, parece que alguém gritou nos meus ouvidos: Ei ! É só mais um pouco, está acabando e o que você fez? Então vem a mente uma lista incomensurável de coisas que eu quis fazer e não fiz. Não porque eu não pude fazer, mas porque eu não me dediquei, não levei a sério as oportunidades. Então vem a dor maior, aquela que sufoca o peito e faz o coração bater mais rápido de tanta ansiedade, angústia e saudades até do que não fiz. É difícil de aceitar, mas é assim, desse jeitinho que é a vida. Chega um determinado tempo que a maturidade cai como um peso nas costas e não me atrevo a olhar no espelho, porque cada ruga, cada sinal tem uma história de luta, de perda, de insatisfação. Saber que queimaram o meu amor, que virou cinzas para adubar algumas orquídeas. Parece um gesto nobre, mas é insensato. Não se queima o amor, não se afoga o amor numa poça d'água. O amor também suscita em palavras e também escrevi muitas palavras durante a minha vida. E o que mais me inquieta é que deixei tudo ir muito longe, perdi o controle, a responsabilidade e eu não nos demos muito bem, até o dia que vi a placa: ATENÇÂO! Por conta da irresponsabilidade fiquei cheia de grilhões, de incertezas que se manifestam através do meu ser e estar. Penso em toda a minha trajetória até aqui e faço sempre as mesmas perguntas: criei meus filhos da maneira certa? Casei com o homem certo? Fiz o que eu sonhava quando ainda era jovem? Ah...tudo pode não ter sido feito da melhor maneira, nem da maneira que eu quisesse, mas tenho certeza que para tudo há um jeito, como dizia minha mãe. Não existe nada melhor do que conhecer a Deus, saber que Ele transformou todo esse texto em esperança, em vida abundante e satisfação pessoal e espiritual. Saber D'Ele que estamos seguros, sarados e amparados. Essa é a verdadeira vida, o verdadeiro Amor, a certeza de que Ele nos perdoou e que podemos seguir em frente ( agora com Ele) e que tudo se fez novo e temos uma nova vida. Jesus, eu te amo, Tu És o meu amor maior!   Marisete Zanon Pereira  

Um comentário:

Vilma disse...

Oi Marizete,vim agradecer sua visita ao meu blog e dizer que vocvê pode copiar o texto da máquina de escrever e qualquer outra coisa que quiser,só peço para que quando tiver autoria(Posto textos de terceiros)você conservar os nomes.Boa semana para você na presença do Senhor Jesus.Bjim